quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Porque é importante pensar , escrever e falar sobre maternidade

Hola !! Tenho relutado bastante antes de escrever sobre maternidade , porque

  1. Fico pensando se é desperdício escrever sobre isso sendo que a ""blogosfera materna"" já tem muito conteúdo , de pessoas muito mais qualificadas do que eu .
  2.  Eu mesma não leio blogs ou vlogs pra acompanhar as experiências de outrem (embora eu possua um feed de interesse) até porque 
  3. Ninguém lê nada . Hoje em dia o que vale é a frase de manchete que vai aparecer na sua timeline do facebook se você compartilhar a matéria . Se estiver em tópicos e parecer minimamente interessante , até rola uma conferida nos subtítulos e fotos . Mas ler ..
Porém , refleti .
Existe mesmo tanto conteúdo assim a respeito de uma "maternagem" mais informada , consciente e focada nas necessidades do bebê ? Existe espaço para as gestantes tirarem suas dúvidas , trocarem experiências e ansiedades ? Existem condições ideais para ritualizar essa experiência mítica e profunda de maneira que possa ser interiorizada saudavelmente pelas mulheres que são palco vivo dessas transformações brutais ? Olha .. nem tanto ..

É importante falar sobre isso . É importante falar sobre isso À EXAUSTÃO !  É necessário falar sobre isso até que grupos de apoio sejam formados , até que as mulheres amparem-se umas às outras e a sociedade a todas , promovendo um ambiente emocionalmente saudável onde nós queremos que as novas gerações sejam criadas . É necessário falar sobre isso até que as atenções se voltem , que os olhos se abram , que a consciência coletiva absorva esse assunto até que a massa crítica seja atingida e a ideia se condense numa singularidade e se materialize numa mudança real do nosso modo de pensar e agir com Gaia , a Mãe Terra , a Grande Mãe e , consequentemente mude nossa relação com o gestar , parir e criar filhos .

E o que eu quis dizer com "pessoas qualificadas" , acima ? Quer dizer que pra falar de maternidade tem que ser cientista (rs) ? Não vale falar sobre o último truque do bebê , o carrinho mais moderno do momento ou opiniões pessoais ? Hehehe mas é claro que vale ! Opiniões pessoais maternas são importantes , elas são as coisas MAIS importantes do contexto da maternidade , porque são com as suas opiniões pessoais que as mães criam seus filhos (: Então não dá mais pra gente discordar e discutir entre si porque "meu corpo minhas regras" na hora de abortar , mas se for parir , cesárea é proibido ; ou "mulher tem que ser independente financeiramente do marido" mas se precisar usar chupeta , regrar sono e mamadas e colocar o neném numa creche aos 4 meses pra voltar a trabalhar e sustentar a família não pode porque é negligência (aliás , isso não é algo que se fale muito na esfera da ~maternagem consciente~ . Parece que assume-se automaticamente que o público é de "classe" média/alta) .


Também não adianta dizer que médico não pode tudo só porque tem diploma mas só achar válido o método tal criado e escrito pelo Médico Bambambam Fulano de Tal .
Tá na hora de parar de julgar o outro segundo as nossas crenças e expectativas apontando o dedo , precisamos começar a estender as mãos .

Pra mim o mais aterrorizante da gestação , parto e maternidade foi perceber o quão babaca , ignorante e cruelmente a sociedade trata esse milagre , que deveria ser um momento-espaço sagrado e protegido ; e o quanto as mulheres são negligenciadas e maltratadas em todos os aspectos (assunto para mil postagens..) enquanto mães . Ficou claro que estamos longe de um estado ótimo para se gerar e criar filhos . Ficou claríssimo o quanto as famílias precisam de informação e as mulheres de APOIO .

 Na gravidez , oh ! Que lindo barrigão ! Pode passar , deixa que eu levo pra você , cuidado , eu te ajudo ! No pré-natal nenhum acompanhamento psicológico . No parto , torna-se coadjuvante , sofre violência obstétrica e é deixada para lidar com as sequelas na frieza clínica dos hospitais , onde nasce e morre gente . No pós parto , se tiver companheiro , quem sabe pode ter 5 dias de responsabilidades compartilhadas , e logo após isso está livre para mergulhar sozinha , vazia , ferida e cansada , no negrume profundo do puerpério sobre o qual ninguém avisou . Precisa-se urgentemente de apoio , e eu pretendo escrever sobre isso .
No entanto , mesmo a "blogosfera da 'maternagem consciente'" incorre no erro de exercer uma pressão nas "mães informadas" que até ali chegaram . Tudo deve ser de acordo com as ultimas tendências da maternagem porque "toda mãe consciente está fazendo" . A "menas mãe" será julgada em silêncio superior .

Sou compreensiva e complascente com a moça que marcou cesárea , a senhora que colocou a mão no meu barrigão na fila do supermercado sem avisar falando dos terrores de um bebê recém nascido e com a mãe que desfila seu neném com uma roupa igual a sua e colar de âmbar . Todas são regidas pelo mesmo princípio : há tantas formas de ser mãe e criar filhos quanto há pessoas no mundo , e nenhuma delas é "a certa" . Ou melhor , cada uma está certa a seu modo , cada bebê vai se adaptar ao estilo de vida específico da família em que veio , e manifestará essas especificidades .

Então aqui estou eu , contra todos os contras , para oferecer minha humilde experiência a quem  interessar possa . E quando eu digo humilde experiência quero dizer exatamente isso . Como disse antes , acredito que cada família , mãe e bebê são únicos e o que funcionou pra mim , nas minhas circunstâncias , certamente não vai funcionar pra todas , mas espero ser útil de qualquer maneira .

Pretendo escrever sobre a viagem profunda que é estar grávida , sobre o parto domiciliar da Celeste , sobre consumo consciente na maternidade e o que mais vier com o tempo .
Vai que passa por aí uma gravidinha louca pra saber os filmes mais legais que ela pode assistir na gravidez ? ^^


Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...